My Demon Life
Ideias e Pensamentos que ocasionalmente me passam pela cabeça.

12 Outubro 2009

Como sair deste colete de forças?!

 

Já há muito tempo que me pergunto e já à muito tempo que obtenho a mesma resposta para esta pergunta. A resposta é mais ou menso obvia - que tal sair?!.

É verdade, que tal sair. Mas depois penso e se calhar tento convencer-me de que o que lá está vale por todas as coisas menos boas que por lá se passam.

 

E vendo as coisas de uma forma geral, sim é verdade. No entanto, à medida que a vida vai passando e as situações vão ocorrendo deparo-me com o facto de já serem demasiadas coisas "incomodas" naquele local. E com a falta de medidas ou actos para que essas situações deixem de ocorrer. Alias sempre que acontece alguma fico com a sensação que ainda há mais. E que muitas ainda podem vir.

 

O pior dos sentimentos é a sensação de injustiça e de indiferença perante ela. Utilizando o futebol para dar o exemplo: Imaginem uma defesa a fazer um jogo brilhante a evitar que a equipa adversária marque qualquer golo. Enquando isso os avançados não estão a fazer nada durante o jogo e ainda por cima só perdem bolas para a defesa recuperar. No então nos ultimos instantes da partida, sobra um ressalto para o avançado e ele lá marca. No final do jogo para quem vai os louros?! Pois é para o avançado. Claro que ainda dizem que a defesa foi fundamental, mas quem lá está nas capas e a aparecer em publico como o heroi?! O avançado.

 

Pois, este exemplo consegue retratar alguns dos recentes acontecimentos. Eu estou no lado da defesa (e por acaso sempre joguei a defesa, daí a comparação e saber do que estou a dizer) e em vários acontecimentos tenho passado por esta experiência.

 

E a resposta que sempre se obtém é algo como isto: "Sabes que são coisas que vão sempre acontecer mesmo que não gostes"... Pelos visto é bem verdade.

 

Enfim é a vida e também ninguém disse que era justa.

publicado por mydemonlife às 14:14

É a vida... e a vida é assim mesmo, embora caiba a nós tentar mudar aquilo que não gostamos - é difícil, eu sei, e complicado. Mas tenta-se. E assim, pelo menos sabemos que tentamos.

Quanto à analogia do futebol: é verdade que os avançados aparecem nas revistas - mas isso não impede que se dê o devido valor aos defesas. E há quem saiba dá-lo - tão simples quanto isso: tens quem te dê o devido valor.
blue258 a 12 de Outubro de 2009 às 23:29

Ola.
Pois é verdade. E disso ninguém me pode acusar. Eu tenho tentado e disso não me arrependo. Pelo menos tentei.

Quanto à analogia isso é verdade. Há quem de o devido valor aos defesas, como se vê, eu só um deles - mais do que os avançados. Mas é injusto, só ser mostrado esse valor aos avançados, e sendo os defesas relegados para segundo pano, para limpar as asneiras dos outros.

Mas o que defendes é verdade.
mydemonlife a 12 de Outubro de 2009 às 23:57

sempre tens o consolo de saber que:

1. receber louros ou reconhecimento muitas vezes não é o mais importante (mas sim a obra)

2. há sempre aqueles - que acredito serem muitos - que sabem que quem dá a cara raramente é o autor absoluto do fruto a que dão mérito.

;)

be proud of your work for having done the right thing! the rest will follow naturally :)
arh- a 23 de Outubro de 2009 às 16:09

Pois,

É tudo muito bonito, mas se vez grande parte da tua obra ser atribuida a outros, torna-se um bocadinho chato!
Se é só uma ainda é naquela, mas quando são algumas xateia um bocadinho e deixa de haver vontade de continuar a fazer essas coisas... Por acaso eu sou um bcdnh masoquista e volto sempre a fazer as coisinhas todas... Um dia alguem vai reparar...

Sim, neste aspecto sei o que fiz e acho que fiz as coisas certas e bem... Mas é dificil nos momentos de reconhecimento e tal muitas vezes não estar lá...

Mas é mm isso... isto lá vai fluindo... afinal é a vida!
mydemonlife a 23 de Outubro de 2009 às 16:52

Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
13
17

18
19
20
21

25
29
31


mais sobre mim
pesquisar
 
Numero de Visitas
Criar site
Criar site
Parcerias
Estou no Blog.com.pt
blogs SAPO